quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

10 metas para 2012

1) Não arrumar problemas

2) Encarar desafios

3) Concentrar-se no trabalho

4) Fazer exercícios

5) Ajudar o próximo

6) Cuidar dos amigos

7) Estar preparado para dias difíceis

8) Descansar mais

9) Acreditar que nada é impossível

10) Sorrir sempre!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Seção "São Tomé" - Passarela na Acary Margarida

Contando, ninguém acredita: desde as fortes chuvas de janeiro de 2011, o acesso à praia na rua Acary Margarida estava comprometido: a força da água transformou tudo em entulho.

Quase um ano reivindicando a reforma da prefeitura, a comunidade foi vencida pelo cansaço. Mesmo pagando impostos todos os dias, os comerciantes e donos de pousadas resolveram colocar mais ainda a mão no bolso, e juntaram dinheiro para financiar a obra.

A prefeitura, bondosamente, autorizou a reforma. E ainda tem político oportunista espalhando que foi o poder público que intercedeu para a construção da nova passarela.

Algumas fotos para quem só acredita vendo:

domingo, 18 de dezembro de 2011

Inaugurações no norte da Ilha

Ana Echevenguá


16 de dezembro de 2012. Canasvieiras (um dos bairros mais populosos de Florianópolis-SC) foi para a mídia devido à visita de vários integrantes da Classe Política. Governador, vice, secretários, vereadores, a até a ministra Ideli Salvatti.
Sebastião Santos (o Tião do CONSEG) foi incansável em distribuir os convites e avisara comunidade sobre a importância dos atos previstos pro dia 16.
Às 9 horas da manhã começaram as inaugurações. A primeira foi o início oficial da atividade das câmeras de videomonitoramento da Polícia Militar e a entrega da ordem de serviço para o início das obras do Centro de Eventos.
Às 10, o evento da inauguração da SC 401 duplicada. O calor sob uma tenda instalada no alto do viaduto da Vargem Pequena não afugentou os interessados.
Todos os que discursaram foram unânimes: sem a manifestação da comunidade, nada teria ocorrido. Deixaram clara, portanto, a necessidade e a importância da atuação da sociedade civil organizada na reivindicação de seus direitos.
O número de câmeras ainda é insuficiente para garantir a segurança. O Centro de Eventos não é do jeito que todos queríamos. A duplicação precisa de complementos como iluminação, sinalização e passarelas para pedestres... mas, tudo pode ser resolvido, desde que bem reivindicado.
Importante salientar, nessa luta e nesses ganhos, a atuação e a força das entidades que defendem os interesses do norte da ilha. Mesmo debaixo do sol forte, não perdemos a oportunidade de fazermos pedidos diretos ao governador, prefeito, secretários, ...
Canasvieiras e os demais bairros precisam saber a força que possuem. Foi dito – por um dos discursantes – que, se fossemos um município emancipado, estaríamos entre os 10 mais fortes de Santa Catarina. Vamos guardar esse dado na memória!
Parabéns a todos! Dia 16 foi uma ‘sexta-feira gorda’!
E é de ‘bom alvitre’ que o Poder Público enxergue nossa força e apóie nossos pleitos.


A luta pelas passarelas ao longo da rodovia duplicada ganhou voz e vez. O Rotary de Canasvieiras entregou, nas mãos do governador Colombo, um ofício específico. A ACIF de Canasvieiras também abraçou publicamente a causa. De igual sorte, o CONSEG e o SOS CANASVIEIRAS e o Instituto Eco&Ação , mostraram que vale a pena o engajamento nas causas publicas pela comunidade.


CONSELHO DE SEGURANÇA DA BAIA DE CANASVIEIRAS (CONSEG) E O MOVIMENTO SOS CANASVIEIRAS CONVIDAM A TODOS PARA OS ATOS DE INAUGURAÇÃO DO VIDEOMONITORAMENTO DE CANASVIEIRAS E DA ORDEM DE SERVIÇO PARA O INÍCIO DA OBRA DO CENTRO DE EVENTOS DE CANASVIEIRAS:

REUNIÕES DO SOS

Muitas das nossas ações e decisões são tomadas através do grupo de emails, soscanas@yahoo.com.br.


Por este motivo, as reuniões são realizadas em caráter extraordinário.


Se você deseja participar, será muito bem vindo. Fique atento! Divulgaremos dia, local e horário através deste blog.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Convite

JURI POPULAR

Tijolada por Justiça nesta sexta-feira, dia 16, às 17 horas, na frente da Catedral Metropolitana

Se possível vista uma roupa Branca ou Preta em sinal de paz, luto e luta! Traga seu cartaz de Protesto!

Um convite aos lutadores sociais:

Mataram Mosquito? Mosquito matou-se? O fato incontestável é que Mosquito ficou sem saída. Tenha ou não encerrado a própria vida, outras mãos, distantes da moradia de Mosquito, distantes do lugar onde ele foi encontrado, também são responsáveis por esta morte. Gente que Mosquito denunciou, poderosos que continuam impunes, gente que o enterrou sob dezenas de processos, em situação financeira e emocional insustentáveis. Por isso, se você participa de algum movimento social, se já participou, se desejou participar, mas não o fez pelo motivo que for, aqui vai um convite:

Para nós, que lutamos por justiça, Mosquito não morreu. Por isso, vamos nos juntar na frente da Catedral Metropolitana, a partir das 17 horas nesta sexta-feira, dia 16 de dezembro, para expor os fatos que Mosquito, AMILTON ALEXANDRE, expôs ao longo de sua luta. Neste lugar, Praça 15 de Novembro, é que Mosquito foi enquadrado, com então outros estudantes, na Lei de Segurança Nacional ao participar da Novembrada, a manifestação realizada em 1979 contra a presença do então presidente, general João Figueiredo, e contra a ditadura militar.

Aquela prisão foi o detonador que desencadeou reações populares adormecidas e articulou personalidades e políticos do campo da resistência democrática em formação, organizações eclesiásticas de base, sindicalistas, ativistas dos direitos humanos, estudantes e uma multidão de populares que tomaram a praça e as escadarias da Catedral para exigir a libertação dos sete líderes estudantis... Ali Mosquito entrou para a política de nossa cidade pela porta da frente.

Hoje nossa cidade vive há uma década sob o clima de terror da ideologia do pensamento único, da corrupção impune, da criminalização dos movimentos sociais, do total desrespeito aos instrumentos constitucionais de Gestão Democrática das Políticas Públicas, da Transparência e do Controle Social dos Atos e dos Patrimônios Públicos, ao mesmo tempo em que tiram o direito à vida digna e plena do Mosquito e de forma hipócrita nos mostram como porta de saída a porta dos fundos, como se nós fossemos os desajustados sociais, os corruptos e corruptores.

Não podemos nos silenciar diante de tamanha violência. Isso é um insulto político, ético e moral aos nossos sonhos, desejos e lutas por liberdade e justiça social. Por isso não devemos aceitar que junto com o Mosquito matem nossos sonhos e nossa dignidade. Chegou nossa hora de ocupar novamente as escadaria da Catedral com um Júri Popular que aponte os verdadeiros causadores das desordens e das injustiças sociais, os algozes de nossas lideranças, movimentos e sonhos de vida digna para todos e todas.

Mataram o Mosquito, mas seu legado vai seguir vivo nos demais militantes sociais, homens e mulheres livres, jovens e idosos esperançosos de justiça, fraternidade e união.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Passarelas na SC 401

Ana Echevenguá

A morte em um acidente de trânsito ocorrido no domingo passado, dia 04 de dezembro de 2011, às margens da rodovia SC 401, Florianópolis-SC, traz à tona mais uma das tantas hipocrisias da Ilha da Magia.
Trata-se da rodovia estadual mais movimentada de SC porque liga o norte de Floripa ao resto do mundo.
Desde o início das obras, nos dois trechos da SC-401, os mais de 40 mil motoristas (que por ela trafegam diariamente) experimentaram congestionamentos e vários acidentes. Importante ressaltar que este número de motoristas é triplicado na temporada de verão.
Bom: construíram mais duas pistas, uma ponte, um elevado, fizeram alguma sinalização; mas esqueceram dos cuidados necessários ao pedestre que também usa essa via.
Pedestre circulando numa rodovia estadual? Sim. Trabalhadores, moradores, estudantes das mais variadas faixas etárias, ... cada dia, há mais empresas e residências ao longo da SC 401. E, em decorrência, várias paradas de ônibus. Alguns são usados até como ponto de prostituição e de venda de droga...
E o usuário do transporte coletivo, ao usar o ônibus, precisa, ou no ‘ida’ ou no ‘volta’, atravessar a rodovia.
Claro que os projetistas, executores – tanto da rodovia como da sua ampliação - deveriam ter previsto passarelas, semáforos, faixas de segurança... pensando na sobrevivência dos pedestres que se obrigam ao uso da SC 401.
Mas isso não aconteceu. E Kamila – uma menina de dezenove anos - morreu, numa noite de domingo, ao tentar atravessar a rodovia.
Parece que seu pai a esperava do outro lado da pista, para levá-la pra casa. E, ao ouvir alguns moradores do norte da ilha, soube que é corriqueiro os pais levarem e esperarem por seus filhos ao longo da SC 401. “Eles atravessam correndo, param no meio da ‘SC’ se vier carro do outro lado, depois atravessam correndo a outra pista”.
Haja prudência e perícia para os condutores dos veículos!
Encontrei no periódico ‘Imagem da Ilha’, de março de 2011, uma reportagem de Gabriela Morateli a respeito do assunto; “Um leque de estabelecimentos comerciais ao longo da SC-401, Norte da Ilha, vem crescendo e com eles surge a necessidade de um maior número de passagens seguras para os pedestres. Além do comércio, o aumento populacional na região também justifica a construção de mais passarelas. As quatro existentes ao longo da rodovia nos seus mais de 20km de extensão não suprem a demanda, já que alguns trechos bastante urbanizados não contam com este equipamento urbano. Por isso, os pedestres acabam se expondo ao perigo, atravessando a rodovia em meio ao vai e vem dos veículos, que é constante”.
Gabriela ouviu o DEINFRA - Departamento Estadual de Infraestrutura. E soube “não há planos para a construção de novas passarelas na SC-401, mesmo com as obras da duplicação do seu trecho final. O que será realizado em breve é a substituição da passarela da Vargem Pequena por um viaduto, que além das pistas para veículos prevê espaço para ciclistas e pedestres” - http://www.imagemdailha.com.br/noticias_detalhes.php?id=527&cat=5
Essa é a proposta de mobilidade para a Ilha da Magia e para tantas outras cidades do Brasil.
Na minha cabeça, que não havia se antenado para esse problema tão sério, lateja a pergunta: Quantas Kamilas precisarão morrer para que os pedestres ganhem a segurança necessária ao longo da SC 401?



Ana Candida Echevenguá, advogada ambientalista, coordenadora do programa Eco&Ação, presidente da Academia Livre das Águas, email: ana@ecoeacao.com.br, website: http://www.blogger.com/www.ecoeacao.com.br.

Denúncia de contaminação na Lagoa do Peri

Oito tonéis de 200 litros, embalagens de ácido acrílico glacial, produzidos na China, comprados de um "reciclador" em Palhoça pelo concessionário dos pedalinhos da Lagoa do Peri, entraram no Parque Municipal, com a finalidade de servir de estrutura para um pier flutuante.

Ao meio dia deste domingo, o empreendedor do pedalinho começou uma "lavagem" de um dos tonéis na torneira externa do vestiário localizado a 50m da margem da lagoa ao lado de uma das inúmeras churrasqueiras ali instaladas.

Já na abertura do tonel um forte cheiro de produto químico foi sentido por parte dos frequentadores ao lado do vestiário e quando em contato com a água, o cheiro se espalhou rapidamente por uma enorme área contígua. Parte da água contaminada foi jogada dentro do tanque, cujo destino é uma fossa séptica nas proximidades, e a outra parte foi jogada na areia ao lado do tanque cobrindo uma área de aproximadamente 10 metros quadrados.

Alarmados pelo forte cheiro, alguns frequentadores mais antenados dirigiram-se ao rapaz inquirindo-o sobre o que se tratava e receberam a resposta de que "estava lavando os tonéis para usá-los como bóias na lagoa". Este, por sua vez, já começou a se sentir mal com o forte cheiro intoxicante dos gases gerados pela lavagem. Imediatamente alguns frequentadores foram em busca do fiscal da FLORAM, que encontrava-se distante do local, ocupado em barrar a entrada de bolas de crianças no parque. Percebendo a enrascada em que se metera, o empreendedor do pedalinho tentou fugir do local, mas foi detido pelos frequentadores que também chamaram a polícia, a Defesa Civil e os Bombeiros.

Para surpresa dos denunciantes houve relutância das autoridades em admitir a gravidade da situação, fato que gerou revolta por parte dos mesmos e, somente então, a polícia foi acionada e chegou ao local preocupada com o tumulto, e não com a contaminação gerada. Somente a área à volta do tanque de lavagem foi isolada pela polícia e 4 carrinhos de areia foram espalhados para minimizar o efeito dos gases, que, 5 horas após o evento, ainda empesteavam o ar do parque.

O empreendedor foi autuado mas, pasmem, o parque NÃO FOI INTERDITADO, mesmo diante da exposição aos gases e do inevitável risco de intoxicação. Assim, desde o ocorrido até o fechamento do parque no domingo, crianças brincavam ao lado da área isolada por uma fita de plástico, expostas ao forte cheiro químico, sem que vingásse o bom senso.

DA RESPONSABILIDADE DA FLORAM

1- Como é possível se permitir a construção de um trapiche flutuante para servir de plataforma de embarque e desembarque dos pedalinhos, quando é proibida qualquer tipo de estrutura semelhante para barcos a vela e similares em toda a orla da lagoa ???

2- Como é que foi permitida, ou "passou desapercebida", a entrada de OITO TONÉIS de 200 litros cada, de embalagem altamente tóxica, conforme indicam os dizeres gravados nos mesmos, em um parque municipal, sede de fiscalização da FLORAM ???

DA RESPONSABILIDADE DA CASAN

3- Sendo a Lagoa do Peri um manancial do qual se retira água potável para abastecer 150.000 pessoas de todo sul da ilha até a Barra da Lagoa - o Sistema Costa Leste, como admitir que a CASAN esteja ausente do controle sobre os materiais que adentram ao parque, seja para uso dos frequentadores, seja para construção de estruturas ???

DA RESPONSABILIDADE DA DEFESA CIVIL

4- Como admitir o NÃO FECHAMENTO DO PARQUE depois do ocorrido, permitindo a presença de frequentadores nas proximidades do local, dentre os quais um sem número de crianças, muito mais suscetíveis à intoxicação por inalação de gases tóxicos ???

DA RESPONSABILIDADE DA EMPRESA QUE COMERCIALIZOU OS TONÉIS EM PALHOÇA

5- Como é possível que uma empresa comercialize tonéis que continham produtos altamente tóxicos, ao invés de os mesmos serem encaminhados de volta ao fabricante chinês, conforme atesta sua origem ???

A legislação pertinente ao destino das embalagens de produtos tóxicos (agrotóxicos e demais componentes utilizados na indústria química) obriga o usuário a encaminhar de volta ao fabricante, que, por sua vez, tem a obrigação de recebê-las e lhes dar o destino correto. A pergunta que surge, por óbvia e lógica, é como uma empresa comercializa (esta situada em Palhoça) embalagens de produtos tóxicos cuja procedência é ilegal e sequer deveria acontecer. Soube-se, posteriormente, que o fabricante é chinês e que se trata, obviamente, de produto importado.

As autoridade dos órgãos ambientais e de fiscalização tem que responder por tudo isso !!! Não será o guarda do parque, por pressuposto.

Só falta alguém dizer que estamos sendo "alarmistas" ou "ecochatos".

Mosal

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Floripa - Ilha Pequena



Histórico da Ilha de Santa Catarina - Florianópolis - a nossa Ilha, relembrando os povos que a habitaram, suas alegrias, como era conhecida e o que representa hoje. Cuidemos muito, para que os recantos naturais que ainda existem, perpetuem, proporcionando-nos prazer e paz.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Férias

Senhores senadores catarinenses,

As férias parlamentares estão chegando e com elas a volta às bases para o estreitamento da empatia eleitoral. Ao desejar um feliz retorno da ilha da Fantasia para a ilha de Santa Catarina os convidamos para um teste nos vossos reflexos, acessando a praia de Canasvieiras pela rua Acary Margarida, local de grande afluxo turístico. O acesso, já melhorado pala ação dos moradores (sacos de areia), é um teste de acessibilidade urbana, coisa que os especialistas do ministério das Cidades entendem bem.

Levando um escorregão ou não, os senhores me perguntarão! E os moradores não fizeram nada, não reclamaram, não exigiram os seus direitos de cidadãos, de eleitores e de contribuintes?

Fizemos sim senadores, Já escrevemos à todas as castas políticas, já fomos à todas as “repartições” de tudo quanto é coisa ligada ao meio ambiente, ao turismo, à saúde pública e às obras (não confundir com ir aos pés), à Santur e até levamos um chega pra lá do Ministério Público Estadual.

Como sabemos que o prefeito e o secretário municipal de Turismo estão em fim de carreira e tanto se lhes dá como se lhes deu, procuramos a turma do Estado, pois o balneário é grande arrecadador e uma situação desta pega um pouco mal não só para a Fazenda, mas e principalmente para o secretário estadual do Turismo que tanto rasga seda sobre as belezas da Ilha. Deu em águas de bacalhau, mesmo com as diversas visitas da mídia televisiva.

Assim, só nos restou apelar para o vosso bom senso e esperar que algum dos senhores peça o favor à Ideli ou nos destine alguma verbinha das vossas emendas. Coisa pouca, mas que irá resolver o nosso problema. Caso resolvam aparecer, nos avisem antes para que instalemos uma corda na pinguela.

Em tempo: Isto está no estado em que se encontra, desde janeiro.

Feliz Natal.

Maltez

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Volta à Ilha Atrás do Esgoto

Neste sábado, dia 3 de dezembro, a caravana do MOSAL vai se encontrar no estacionamento da
Escola Brigadeiro (Av. Pequeno Príncipe) - Campeche às 9 horas da manhã para a inédita

VOLTA À ILHA ATRÁS DO ESGOTO !!!

Percorreremos todas as estações de tratamento de esgoto de Florianópolis com a finalidade de fazermos um reconhecimento de campo, compartilharmos informações técnicas e práticas sobre cada uma delas, e obtermos informações com pessoas das comunidades sobre o serviço de saneamento local.
Venha participar você também!

Para efeito de organização, pedimos que façam contato através
de nosso email ou por telefone o mais breve possível.
Telefones:
Gert- 8424 3060
Raquel - 8455 5932
mosal.contato@gmail.com

Cronograma:

CAMPECHE- encontro 9h. Saída 10h- visita Estação elevatória

BASE AÉREA-

LAGOA DA CONCEIÇÃO- 11h

BARRA DA LAGOA- 12

INGLESES- 2h

VILA UNIÃO ( VARGEM DO BOM JESUS)-2:45h

PRAIA BRAVA- 3:30

CANASVIEIRAS- 4:15h

JURERÊ- 5:15h

SACO GRANDE- 6h

PARQTEC- 7h

INSULAR

POTECAS

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Jabuti do FGTS

Senhores senadores catarinenses,

Na semana passada os vossos eleitores de Canasvieiras – Florianópolis, pagaram para ter essa água barrenta do copinho ao lado e se arriscavam entre sacos de areia, por eles colocados, para chegar à praia pelo acesso destruído nas chuvas de janeiro, embora estejam com o IPTU em dia. Se não caírem no valão, ao chegar à praia vão brincar de pular dejetos in natura, pois o saneamento básico não funciona.

Poderão ficar bravos, xingar o prefeito, a presidentA, os senhores ou chorar junto aos moradores do Vale do Itajaí que perderam suas casas na enchente de 2009 e até agora aguardam um teto. Poderão também esbravejar junto com milhões de brasileiros que não têm privadas ou tubos que levem os seus dejetos para uma estação de tratamento. Tudo isso que o seu dinheiro depositado no FGTS poderia prover. Mas não.

Os senhores num rasgo de bom senso resolveram aprovar no dia de ontem a emenda provisória jabuti 540 que mistura interesses de toda ordem e libera a utilização dos dinheiros dos trabalhadores, retidos no FGTS, para a infraestrutura da Copa e Olimpíadas.

Muito bem, não temos saneamento, pagamos por essa porcaria de água e nadamos entre cagalhões, mas teremos aeroportos mirabolantes e viadutos ligando nada com coisa alguma que os trabalhadores possam usufruir.

Os senhores são uma figura!

Abraços,

Maltez

http://indignadissimo.blogspot.com/

domingo, 27 de novembro de 2011

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Expedição SOS PAPAQUARA

Ana Echevenguá

No dia 19 de novembro de 2011, o SOS CANASVIEIRAS, juntamente com as associações de pescadores locais, realizou uma expedição no rio Papaquaras, Florianópolis-SC. Foi batizada carinhosamente de SOS PAPAQUARA. Uma proposta de José Luiz Sardá que, de imediato, foi aceita pelo grupo. Os rios do norte da Ilha da Magia carecem de especial atenção. Estão poluídos, fétidos, sem qualquer proteção... recebem toda espécie de dejetos; como se suas águas não fossem vitais.

Sardá também providenciou o empréstimo das embarcações. Os jornalistas da RIC Record nos acompanharam e, no mesmo dia, levaram ao ar as imagens e depoimentos dos participantes. O jornal A Notícia do Dia também publicou material referente ao evento. Agostinho Nicolini, do jornal Floripa Norte da Ilha, também nos acompanhou e falará a respeito na próxima edição.

Alguns órgãos oficiais foram convidados; mas ninguém apareceu.

O dia ensolarado – que nos surpreendeu com algumas pancadas de chuva - permitiu capturar imagens de um rio que sobrevive de teimoso. Vimos construções e restos de material de construção destruindo suas margens, canos derramando esgoto em suas águas mansas e escuras, garrafas de bebida, cadeiras, botas, isopor boiando em seu leito... o forte de cheiro de esgoto, em alguns trechos, era insuportável.

Os pescadores – que cresceram em contato direto com rio - lembraram que, antigamente:

- pescavam robalos de até 8 quilos por ali. (Hoje, só pesca ali quem não sabe que as águas estão poluídas. E os poucos robalos que sobrevivem pesam, em média, 2 quilos);

- pegavam siri da casca azul em abundância. (Hoje, esse bichinho desapareceu);

- tomavam banho naquelas águas, que eram mais profundas e, obviamene, limpas;

- havia areia branca em alguns trechos da beira do rio. Era uma prainha pra diversão nas tardes de domingo...

A proposta inicial de percorrermos 1.500 metros do Papaquara restou inviabilizada. O excesso de vegetação no leito do rio impediu a passagem dos barcos. Vegetação que só cresce em virtude da poluição ali existente, concluiu Sebastião dos Santos, atual presidente do CONSEG Canasvieiras. Não podemos ir muito além da ponte Xavier, no Canto do Lami; uns 800 metros, mais ou menos.

Ou seja: constatamos também que o rio não é mais navegável.

A manhã de sábado foi produtiva. Verdadeira aula de educação socioambiental ao ar livre. Com pessoas apaixonadas pela Mãe Natureza. Apesar da indignação com o tratamento dispensado ao rio, o clima de festa e descontração pairava no ar.

As imagens que capturamos serão divulgadas para alertar a comunidade sobre a necessidade de defender e preservar o Papaquaras e todos os rios do norte da Ilha. Por enquanto, estão disponíveis no facebook do Soscanasvieiras.

Agradecemos aos pescadores que tornaram possível a nossa saída de barcos. E não podemos esquecer o seu pedido de fazermos uma visita ao rio Ratones, que também está experimentando os mesmos problemas...

domingo, 20 de novembro de 2011

SOS Canasvieiras na imprensa

Fonte: ND Online

SOS Canasvieiras realiza ação para verificar o estado do rio Papaquara, no Norte da Ilha

A ocupação irregular de terrenos próximos ao rio causou a retirada de 58 famílias do local no começo de 2011

Emanuelle Gomes


O Movimento SOS Canasvieiras organizou uma ação, na manhã deste sábado (19), para averiguar as condições do rio Papaquara, no Norte da Ilha. O rio ficou conhecido pela ocupação irregular de 58 famílias que foram retiradas do local em janeiro deste ano pelo prefeito da Capital, Dário Elias Berger. Um com barco, representantes do conselho de segurança Baía de Canasvieiras, SOS Canasvieiras e comunidade da região, percorreram cinco quilômetros do percurso do rio.

“Observamos a degradação do rio que tem uma história, recebe águas de Ingleses e Cachoeira do Bom Jesus, passa por Daniela e deságua no mar. Vimos aterros muito próximos do Papaquara e não conseguimos navegar em alguns trechos devido à grande quantidade de algas”, conta Sebastião dos Santos, presidente do conselho de seguranças e membro do SOS Canasvieiras. Segundo ele, a intenção da ação é mostrar, por meio da imprensa, a situação atual do rio e buscar a recuperação das atividades econômicas desenvolvidas no local.

“Pretendemos fazer a dragagem e repovoar com robalos e camarões, que eram muito pescados aqui”, comenta. Enquanto uma equipe se deslocava pelo Papaquara, outro grupo promoveu ações de conscientização ambiental dentro da escola estadual Jovem Jacó Anderle. Um cinema 3D foi montado para projetar filmes que tratam da preservação do meio ambiente gratuitamente para a comunidade. “Temos a intenção de oferecer isso nas escolas pelo Estado. É uma linguagem ambiental diferente. Mais de 140 jovens viram essa mensagem hoje”, explica Rejane Varela, gerente de educação ambiental da SDS (Secretaria de Desenvolvimento Sustentável).

Sobre o Papaquara

Em janeiro de 2010, o prefeito de Florianópolis, Dário Berger, ordenou a retirada das famílias da APP (Área de Preservação Permanente) do rio Papaquara, logo depois das enchentes que afetaram o Estado. No total, 58 famílias foram retiradas das margens do rio. Todas receberam uma indenização de R$ 10 e mais seis parcelas de R$ 300 correspondentes ao aluguel-social. No começo de setembro, a equipe do Jornal Notícias do Dia esteve no local e descobriu que algumas famílias utilizavam o aluguel-social para a compra de materiais de construção e que por questões de trabalho – boa parte das famílias vive da reciclagem feita no loteamento – as pessoas voltaram para a região. No dia 26 de setembro, o Prefeito Dário Berger ordenou a volta das fiscalizações no Papaquara para averiguar as obras sem autorização. A fiscalização foi feita e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano tem de três a seis meses para avaliar a situação e, até mesmo, a possível demolição das residências.

sábado, 19 de novembro de 2011

Água suja nos canos da Casan

SOCORRO! A Casan cobra taxa de água e entrega barro. Quando reclamamos, os funcionários prometem que em 24 horas vão mandar uma equipe pra mexer no cavalete, assim a água voltará a ficar limpa. Mas se persistir a sujeira, o procedimento deve ser o mesmo, quantas vezes forem necessárias. Ano após ano, desde o século passado!

Prestem atenção num dos vários depoimentos de moradores:
"No Bairro Canasvieiras, em Florianópolis, a Casan fornece água barrenta, danificando cisternas,
caixas, tubulação hidráulica, saúde e o turismo. Não é caso de polícia, e sim de saúde pública!
Reclamei duas vezes. E se eu não tivesse anotado amiúde o consumo no hidrômetro, a Casan me teria cobrado neste mês R$ 300 a mais"
Osvaldo Furlan - Professor aposentado
Diário Catarinense - 18/11/2011

Estas fotos foram tiradas no dia 18/11/2011 na residência de uma moradora de Canasvieiras, assim que a água entrou na lavadora de roupas.



sábado, 12 de novembro de 2011

SOS Papaquara



Data: 19/11/2011
Horário: 9h às 12h
Área delimitada do passeio: da ponte Xavier até a ponte da SC 401 (aproximadamente 1.500 metros)
Objetivo: conhecer a atual situação do rio Papaquara, no trecho acima mencionado, e capturar o maior número possível de imagens que serão expostas posteriormente em vários locais (escolas, supermercados, ...) e na internet.
Iniciativa: SOS CANASVIEIRAS

sábado, 5 de novembro de 2011

Hino do SOS Canasvieiras

Música de Ana Negrello. Ouça:

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Prefeitura de Florianópolis está de braços cruzados!

Deu hoje no Diário Catarinense (2 de novembro, página 20): Balneário Camboriú está praticamente um canteiro de obras a céu aberto. A prefeitura investiou cerca de R$19 milhões para melhorar a drenagem pluvial, colocar nova iluminação na praia, reforma de calçadas e instalação de chuveiros. O prazo prometido é até o dia 30 deste mês, para não prejudicar o movimento da temporada.

Lá, pelo visto, o prefeito trabalha pela cidade. Enquanto isso, nossa situação continua a mesma de sempre:


Talvez o nosso prefeito, Dário Berger, não goste muito de ir à praia.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A (in)segurança do Norte da Ilha da Magia

Ana Echevenguá

“... Você precisa de alguém que te dê segurança Senão você dança...” - Segurança, Engenheiros do Hawai.

Final de outubro de 2011. Estamos às portas de mais uma temporada de verão. Turistas de vários lugares do mundo atravessam a ponte. Eufóricos, não enxergam o congestionamento constante do trânsito, não sentem o cheiro do esgoto ineficientemente tratado na ETE da Baia Sul...
É compreensível: Florianópolis-SC está no imaginário de várias pessoas. Sonham em morar aqui, antes ou após a aposentadoria; querem usufruir de suas cento e tantas praias...

“... Todo povo tem Sua versão do paraíso Eu tenho também Só que lá se chega vivo...” – de Lulu Santos, Baby de Babylon

E, ano após ano, somos testemunhas dessa invasão sazonal ao nosso Paraíso. Chegam aqui seduzidos (quem sabe?) pelos indicadores de (pseudo)sadia qualidade de vida que a mídia propaga.
O número de habitantes da Ilha da Magia triplica.
Aí, começa o circo: aparecem reformas nas vias públicas, nas fachadas dos hotéis e pousadas... todo dia, em alguma rua, tem um caminhão de tapa-buracos, de limpa-fossas... Como o serviço é ineficiente, os buracos e o esgoto in natura vão e vem.
Mas, de todos esses problemas, o que mais assusta é a falta de segurança.
Recentemente, participei de uma reunião sobre essa tal de ‘Segurança Zero’; e senti medo do que ouvi. Para o Norte da Ilha da Magia – que vai do bairro Cacupé ao Rio Vermelho -, a Polícia Militar conta com 12 servidores por dia, 2 viaturas, 2 ou 3 bicicletas, 7 postos policiais, ...
Tomara que os bandidos não saibam que estamos com deficit de mocinhos!
Mas, já sei que isso não é segredo. No ano passado, um dos editoriais do Diário Catarinense divulgou que Canasvieiras já integrava “o rol das áreas mais violentas da Grande Florianópolis, ombreando, em matéria de registros criminais, com a maioria dos bolsões de miséria e marginalidade em favelas e áreas periféricas da região”.
E Raul Sartori (Jornal Imagem da Ilha, fl. 04) contou que, em uma audiência pública realizada na Assembléia Legislativa-SC, o coronel que representou o Comando Geral da Polícia Militar de SC, declarou que “A PM está envelhecida, estressada, no limite”. Parece que 70% dos policiais militares têm mais de 25 anos de serviço e tudo o que querem é a aposentadoria.
Ou seja, ano após ano, ouvimos a mesma desculpa: ‘a PM não tem efetivo’ pra cuidar dos habitantes da Ilha. E, mesmo assim, atraem os turistas para essa ratoeira!
Entendo que a solução para tanto é única: o contribuinte tem que exigir do Estado investimentos em recursos humanos para que os órgãos de segurança cumpram sua função institucional. Afinal, pagamos tributos pra isso!
“Por isso, povo brasileiro vamos protestar De uma forma correta, sem violência Vendo a pessoa certa Pra você votar...” – Mundo Cão, Olodum.

Vamos exigir ‘concurso público já!’. Porque a porta de ingresso em cargo ou emprego público – enquanto não mudarem as regras da nossa Constituição Federal – abre-se com a aprovação em concursos.
Mas, gente querida!, precisamos ser enfáticos na exigência. Infelizmente, elegemos Senhores que “não querem perder tempo com essa porcaria que se chama gente”, conforme canta o grande Belchior em um de seus antigos sucessos cujo título é ‘S.A’.
Ana Candida Echevenguá, advogada ambientalista, coordenadora do programa Eco&Ação, presidente da ong Ambiental Acqua Bios e da Academia Livre das Águas, email: ana@ecoeacao.com.br, website: www.ecoeacao.com.br.

domingo, 30 de outubro de 2011

Caixas de gordura

SOS EM CAMPANHA POR UMA VIDA SAUDÁVEL E CONSCIENTE

TEMA: CAIXAS DE GORDURA


As caixas de gordura precisam ser limpas com frequencia.
Seguindo as recomendações de tamanho e capacidade, podemos garantir o bom funcionamento delas.

Manutenção:
Assim como no caso das instalações de água, a manutenção das instalações de esgotos dos imóveis é de inteira responsabilidade dos proprietários ou ocupantes.
A limpeza das caixas de gordura deve ser feita semanalmente, lançando-se os resíduos, devidamente ensacados, no lixo.
No caso de vazamentos (não só de esgotos com o de água) de um imóvel para outro, também cabe ao proprietário providenciar os reparos.
Os vazamentos de esgoto sanitário representam um sério problema de saúde pública, em face dos altos riscos de contaminação que oferecem. Portanto, temos que ter todo o cuidado com a manutenção dessas instalações.
A falta de limpeza da caixa de gordura poderá causar transtornos, tais como:
- transbordamento pela tampa,
- entupimento das canalizações,
- escoamento lento da água pelo ralo da pia,
- mau cheiro.

Bactérias Biológicas:
Se não dispomos de mão-de-obra para limpeza, podemos utilizar bactérias biológicas para digerir e limpar as caixas. As bactérias agem degradando a gordura, evitando entupimentos nas tubulações sem danificar nenhuma estrutura estanque das caixas, podenso ser adicionadas diretamente na pia da cozinha.

Limpeza:
Ao se resfriar, a gordura torna-se sólida em forma de blocos, que irão entupir a rede de esgotos sanitários. Assim, é necessário, pelo menos uma vez por semana, limpar a caixa de gordura. A gordura retirada deverá sempre ser ensacada e jogada no lixo, e NUNCA na instalação de esgoto sanitário.

Dica:
Para evitar que se acumule muita sujeira na caixa, podemos usar uma peneira ou rede na no ralo das pias.

As caixas de gordura que são dimensionadas para estabelecimentos comerciais com número de refeições variados, deverão atender à norma ABNT 8160, onde diz que o nível de água para esses tipos de comércio deverá ser de 0,60m.

REGULARIZAÇÃO:
Muitas residências da Grande Florianópolis ainda não têm caixas de gordura ou utilizam modelos antigos, sem cifão.
Para que a caixa seja eficiente, ela precisa seguir as características recomendadas pela norma brasileira 8160 da ABNT.
Entre as disposições da normativa, estão os tamanhos mínimos e capacidade do sistema. Nas residências comuns (uma ou duas cozinhas) a caixa precisa ter capacidade de, no mínimo, 18 litros. Além disso, a norma estabelece que deve ser feita em formato retangular ou cilíndrico.
Nos edifícios, o mais comum é uma única caixa de gordura para todos os apartamentos. A capacidade mínima recomendada varia de acordo com o número de apartamentos.
A NBR 8160 não estabelece qual o tipo de material deve ser feita a caixa. A escolha fica a cargo do proprietário do imóvel.

Fonte: DC – 30/10/2011 Caderno: Produtos e Serviços – Pág. 13 – Informe Comercial

sábado, 29 de outubro de 2011

Seção Papo-cabeça

Precisamos de uma imagem assim, ainda mais nesses tempos em que a crueldade de certos " seres humanos" em relação aos nossos irmãos menores, os animais, está passando de todos os limites.

No dia de São Francisco de Assis, na Itália, Padre Tomaz faz um gesto simbólico que comoveu o mundo!

"Ame, mas não pela beleza do corpo e sim pela beleza da alma, pois a beleza do corpo um dia acaba, mas a beleza da alma é eterna."
Lenita Borges

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O mundo é uma Kombi!

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”

Esse é um projeto para quem acredita em sonhos. Queremos mostrar que é possível ser feliz com simplicidade e coragem.

Vamos gravar um documentário sobre o que é felicidade no continente latino-americano. Do México ao Brasil, passaremos por 17 países a bordo de uma Kombi alemã 1971, pintada de verde e amarelo – batizada pelos mexicanos de Caipirinha.

A ideia é formar um painel antropológico inédito da América Latina e buscar identificação com o Brasil. Será traçado um paralelo entre o PIB dos países e o conceito de FIB, Felicidade Interna Bruta.

O Catarse é uma plataforma colaborativa para captação de recursos para projetos independentes. Nós precisamos do seu apoio para conseguirmos realizar o nosso. Vale lembrar que se o total pedido não for arrecadado dentro do prazo, o dinheiro captado volta na íntegra para os doadores.

Também precisamos que você compartilhe o nosso projeto. Sê você realmente acredita, recomende aos amigos e espalhe a ideia pelas redes sociais.

Embarque com a gente nessa Kombi!

domingo, 23 de outubro de 2011

REUNIÃO CONSEG

Nesta segunda-feira, dia 24 de outubro, haverá reunião do CONSEG - Conselho de Segurança de Canasvieiras, com a seguinte pauta:

- Apresentação do novo Comandante do 21º Batalhão
- Câmeras de Videomonitoramento
- Conselho Municipal de Segurança
- Centro de Eventos

"UMA COMUNIDADE FORTE SE CONSTRÓI COM PARTICIPAÇÃO DE TODOS"

COMPAREÇA!

DATA: 24/10/2011 - Segunda-feira
HORÁRIO: 20h
LOCAL: Hotel Moçambique, Av. das Nações - Canasvieiras

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Lembram dessa?

Esta música é da década de 70 e animou muitos bailes. Mas creio que quase ninguém entendia o que Hurricane Smith estava cantando. Agora se vê que ele, há quase 40 anos, já estava prevendo o que iriam fazer com o mundo.

Eca!

Interdição por falta de higiene. Este problema não é de hoje... nem privilégio apenas da Rede de Supermercados Imperatriz.
Bom mesmo seria se a Vigilância Sanitária fizesse uma operação pente fino preventiva em outros estabelecimentos, como restaurantes, hotéis, pousadas, bares, mercados, etc. Sem a necessidade de denúncias por parte dos consumidores.
O lado bom é que desta vez a responsabilidade e o dever cumprido prevaleceram por parte deste orgão fiscalizador.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

SOS Canasvieiras na imprensa

Saiu no Jornal do Norte da Ilha de outubro de 2011:

Clique para ampliar

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Nós já sabíamos

O desabafo do Guga, nosso "manezinho ilustre", entre outras palavras,
afirmou que ...Floripa está ao léu...!!! talvez faça as autoridades refletirem
e assumirem uma postura responsável.
Sim, porque nós, simples mortais que pagamos nossos impostos, e mesmo vivenciando
no dia-a-dia, as mesmas mazelas, de nada adiantou, até agora, o alerta constante e a
preocupação com o nosso destino e o destino da cidade.
Salve Floripa!
Tá na hora de resgatar a auto-estima de nossa gente....

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Comunidade do Campeche faz ouvir sua voz: cai a passarela

Por Elaine Tavares

De repente, no meio das dunas, entre o verde da mata e o amarelo da areia começou a crescer um monstro de pau. Misteriosamente vinha de um condomínio de luxo, construído na beira da praia. Por dias, o que se via da areia era uma profusão de madeiras, pregos e homens. A comunidade espiava, no seu jeito ilhéu, cismando. E o monstro vindo.

Então, numa manhã, aquela língua de madeira chegou à praia, destacando-se nas dunas como uma ferida aberta, uma grotesca chaga, um manifesto separatista. Desembocava cinicamente, e sem pudor, no exato lugar onde por anos vicejou o bar do Chico, espaço solidário da comunidade do Campeche, lugar das conspirações, das lutas e das festas populares. O bar que foi derrubado numa manhã chuvosa e gris, sem que as gentes do lugar pudessem fazer nada, depois de levar anos em luta para mantê-lo onde estava. Vieram as máquinas e os homens do poder. “Está sobre as dunas, tem que cair”, diziam.

Agora, o Condomínio Essence, um pequeno monstrengo moderno, de dezenas de apartamentos espremidos entre si, mas de alto padrão, reafirmava seu poder, tripudiando da comunidade na qual pretende incluir mais de mil moradores. O monstro de madeira era uma passarela que ia desde a saída dos prédios até a beira da praia, serpenteando por entre as dunas. Um refúgio seguro para os privilegiados moradores. Uma caminhada de 300 metros sem colocar o pé no chão. A natureza servindo utilitariamente apenas como paisagem.

A comunidade que cismava, decidiu agir. Vieram reuniões, idas aos órgãos ambientais, prefeitura, secretarias. Se o bar do Chico caíra, porque a passarela haveria de ficar nas dunas? “Vai proteger”, alardeavam alguns defensores da natureza. Mas, quem vive no Campeche sabe muito bem o que é que protege as dunas e a natureza. É a gente do Campeche, pessoas que amam o lugar e que amam viver num bairro jardim, onde a natureza não é coisa, é parte de cada um. Esse povo não protege a natureza porque é bonito ver o verde, as dunas e a praia. Protege porque o verde, as dunas, a praia estão entranhados no modo de ser de quem vive nesse lugar, nativo ou não.

Todos os caminhos institucionais foram trilhados, mas ninguém ouviu o clamor. O secretário do “desenvolvimento” ainda ameaçou: “Isso é o futuro. Virão outras”. Isso porque o projeto dessa gente que administra a cidade é fazer uma Florianópolis só para quem pode pagar bem caro por ela. E isso inclui a natureza. Nos enormes cartazes das construtoras, a praia, a areia, o sol, tudo está à venda, incluído no preço. E com um sabor a mais. A pessoa ainda não precisará viver o incômodo de sujar o pé. Pode pegar sua cadeirinha na porta de casa e ir até a beira do mar protegida pela passarela. Haverão de banhar-se?

Na última sexta-feira (30) o povo protestou. Nada aconteceu. No dia seguinte, voltaram as gentes. Desta vem em maior número. Sábado de sol. Praia bonita. Passarela terminada, bem nos destroços do bar do Chico. Era coisa demais. Uma instalação artística re-construiu o velho bar, com uma foto do seu Chico. Alguns choravam. Outros reclamavam, indignados. Então alguém gritou: “ao chão”. O mesmo grito dos homens do poder ao histórico bar numa manhã chuvosa. Mas, nesse sábado, não teve máquina. Teve gente. Teve comunidade. Uma a uma, unidas em pequenos grupos, as pessoas foram arrancando os paus, na mão mesmo, puxando, quebrando, libertando a duna do monstro de pau. Em pouco tempo já havia uma montanha de madeira e o malfadado “deck” já era. Ouvia-se o riso, corriam as lágrimas, palmas. “Foi um dia histórico. A comunidade mostrou que, unida, pode fazer valer a sua voz”.

A passarela foi arrancada da duna, mas a luta não acabou. Essa é uma queda de braço entre dois projetos muito claros: um deles prega o desenvolvimento predador, ainda que só de alguns, os clientes. O outro insiste em manter um modo de vida que avança com o tempo, mas que não destrói. Que preserva cultura, jeito de ser, simplicidade e harmonia com a natureza. É uma batalha titânica que cabe agora ao sul da ilha. O norte já passou por isso e perdeu. Aqui no Campeche, agora que é noite e cai uma chuva fina, as pessoas estão em casa, cismando e fazendo planos. Conheço meus vizinhos e sei: se depender de cada um, a passarela não volta mais.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Seção abobrinhas legais: Novidades ecológicas

Hotel oferece refeições de graça para quem estiver disposto a gerar eletricidade




O Crown Plaza Hotel, em Copenhague, Dinamarca , oferece uma chance para quem quer fazer uma boa refeição sem deixar de cuidar do planeta. O hotel disponibiliza bicicletas ligadas a um gerador de eletricidade para os hóspedes voluntários. Cada um deles deve produzir pelo menos 10 Watts/hora de eletricidade aproximadamente 15 minutos de pedalada para um adulto saudável. Após o exercício, o hóspede recebe um generoso vale-refeição: 26 euros.
----

Bar capta energia produzida pela dança de seus frequentadores





Todas as luzes e os sons de uma balada gastam uma quantia considerável de eletricidade. Pensando nisso, o dono do Bar Surya, em Londres, refez o chão da pista de dança de seu estabelecimento e o revestiu com placas que, ao serem pressionadas pelos frequentadores do lugar, produzem corrente elétrica. Essa energia é então usada para ajudar na carga elétrica necessária à casa. Andrew Charalambous, o visionário dono do bar, diz que a eletricidade produzida pela pista modificada representa 60% da necessidade energética do lugar.
----

Empresa cria impressora que não usa tinta nem papel





Quem disse que uma impressora precisa de tinta ou papel para existir? Conheça a Impressora PrePean. Diferente das convencionais, ela utiliza uma peça térmica para fazer as impressões em folhas plásticas feitas especialmente para isso. Além de serem à prova dágua, elas podem ser facilmente apagadas. É só colocá-las novamente na impressora que, através de outra temperatura, a próxima impressão ficará no lugar da anterior. A mágica faz com que apenas uma dessas folhas possa ser utilizada mil vezes.
----

Universidade constrói telhado verde





O Design Verde é uma tendência da arquitetura moderna, e não estamos falando apenas da cor, mas sim de locais como o prédio de cinco andares da Escola de Arte, Design e Comunicação da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura. A construção conta com uma cobertura vegetal e sua forma orgânica se mistura com a natureza onde está inserida. Os telhados revestidos de grama servem como ponto de encontro informal, além de ajudar no equilíbrio térmico do edifício e na absorção da água da chuva.
----

Designer cria pia que utiliza água desperdiçada para regar planta





Feita de concreto polido, a Pia batizada de Jardim Zen possui um canal que aproveita a água utilizada na lavagem das mãos para molhar uma planta. Criado pelo jovem designer Jean-Michel Montreal Gauvreau, a pia vem em bacia dupla ou modelo simples. Se você está preocupado eu ensaboar toda a sua plantinha, relaxe. Uma peça no início do canal drena o liquido e só deixa água sem sabão escorrer até a planta.
----

Designer cria chuveiro que obriga a sair quando desperdiça muita água






O designer Tommaso Colia criou uma solução para aqueles que adoram passar um tempão tomando uma ducha relaxante (é, você mesmo!). O chuveiro Eco Drop possui círculos concêntricos como tapetes no chão, que vão crescendo enquanto o chuveiro está ligado. Após um tempo, a sensação fica tão incômoda que te força a sair do banho e, consequentemente, economizar água. Cerca de 20% de toda energia gasta no lar vem da água quente utilizada no banho seis vezes mais do que a iluminação doméstica, por exemplo.
----

Designer cria interruptor que muda de cor para ensinar crianças a economizar





Tio é o nome do interruptor em forma de fantasma que avisa, através de sutis luzes, há quanto tempo a lâmpada está acesa. Até uma hora, a expressão do fantasminha é feliz e a luz do interruptor permanece verde. Se a luz é deixada ligada por mais de quatro horas, ele se assusta e fica amarelo. Já se o morador da casa se atreve a deixar a luz acesa por mais de oito horas, o até então amigável fantasma se zanga e fica vermelho. Com o auxílio visual e tátil, espera-se que as crianças comecem a tomar consciência do desperdício de energia logo cedo, e de uma maneira divertida.
----

Empresa cria grampeador sem grampos para evitar poluição





Grampos de grampeador (agrafador) são tão poluentes que uma empresa decidiu criar um novo modelo do produto, sem grampos! Em vez dos grampos a que todos estamos acostumados, ele recorta pequenas tiras de papel e as usa para costurar até cinco folhas de papel juntas. Se você se empolgou com a ideia, pode encomendar esses grampeadores personalizados para que sua empresa se vanglorie de contribuir para um mundo livre grampeadores com grampos.
----

Designer cria carregador de iPhone alimentado por aperto de mão





Eis uma invenção que dará uma mão na economia de energia. Carregue seu iPhone com um aperto de mão! O conceito foi chamado de You can work it out uma brincadeira entre encontrar uma solução (work it out) e exercitar-se (to work out) e foi pensado por Mac Funamizu.

domingo, 25 de setembro de 2011

Em vez de só reclamar, vamos nos mobilizar!

Nós, do SOS CANASVIEIRAS pedimos que a comunidade de Canasvieiras não fique de braços cruzados "vendo a banda passar". Vamos participar:

[...]o Conselho Comunitário Pontal do Jurerê - CCPontal convida todos para uma grande manifestação que ocorrerá no dia 27/09 (terça-feira), às 17:00 horas, defronte à Assembléia Legislativa, logo antes de uma audiência pública sobre Segurança Pública na Grande Florianópolis que ocorrerá naquela Casa Legislativa.

Várias entidades da sociedade civil estarão presentes neste grande ato público que está sendo coordenado pela Associação Metropolitana de Conselhos de Segurança da Grande FlorianópolisAMECON.

É importante que todas as comunidades de nossa região estejam presentes para chamar a atenção das autoridades públicas para a mudança verdadeira e significativa de rumos. Inclusive, sugere-se que sejam levadas faixas grandes para que a população identifique os bairros que estão presentes no ato público.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Dois em um

Dois acontecimentos num dia só conseguiram colocar Canasvieiras no mapa da ilha. Até que enfim!

Nossa comunidade recebeu a visita dos funcionários da CASAN e da Secretaria Estadual de Saúde.
- Pela CASAN, eles saíram às ruas para fazer uma “radiografia” do funcionamento das ligações (corretas/clandestinas) de água e esgoto.
Segundo um dos funcionários, o objetivo é mapear todo o bairro, cadastrando caso a caso, depois levar ao conhecimento da empresa, para com isto, tornar a fiscalização mais eficiente.
Realmente, tá mais que na hora de mostrar serviço. Chega de hibernar, nossa praia pede socorro! Queremos Praia Limpa!

- Por iniciativa da Prefeitura de Florianópolis, através do posto de saúde, agentes de saúde saíram às ruas para cadastrar os moradores.
Além de pedir informações pessoais, eles estão fazendo um levantamento dos problemas de saúde de cada pessoa, que será guardado num banco de dados para avaliação, atendimento e tratamento médico.
Será feito um trabalho itinerante, com visitas periódicas, envolvendo em média seis agentes em Canasvieiras. Ao longo do tempo e conhecendo as necessidades de cada morador, a ideia é atender à população, fornecendo medicamentos e profissionais (médicos, enfermeiros), sem que o paciente precise se deslocar até o posto de saúde.

Torcemos para que estas iniciativas se confirmem. Aplaudimos e aguardamos mais visitas: Do pessoal da Segurança, da Educação de qualidade, do lazer, da infra-estrutura (banheiros e duchas decentes na orla), entre outros...

Convite

Convidamos a todos a participar do Congresso da Cidade Momento II que se realizará nos dias 22 (noite), 23 (noite) e 24 (o dia todo) de setembro no Fórum Distrital do Norte da Ilha Av. Des. Vitor Lima, 208, Campus Universitário (atrás do CSE/UFSC e da Igrejinha da UFSC)

Veja mais em:

http://mosal-movimentosaneamentoalternat.blogspot.com/

sábado, 17 de setembro de 2011

IMAGINEM A CENA!!!

Turistas chegando pra curtir um merecido descanso, de repente se deparam com uma faixa enorme em pontos estratégicos, como vem sendo noticiado na imprensa, e aumentando o constrangimento dos próprios catarinenses.

Elas serão espalhadas por todo o Estado, além de outdoors nas rodovias.

A DP de Penha saiu à frente no protesto.

SEGURANÇA PÚBLICA ESTÁ FALIDA

CRIMINALIDADE CRESCEU 180% NOS ÚLTIMOS DEZ ANOS

A POLÍCIA CIVIL ALERTA: MESMO EFETIVO DE 1984

É de assustar, não é mesmo?

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Dez dicas para ser sustentável no supermercado

Do blog do Professor Pizarro.

Donos e donas de casa sabem que fazer supermercado é uma das tarefas mais importantes da rotina do lar. O que acha de tornar esse momento mais sustentável? Com algumas escolhas simples e pequenas mudanças de atitude é possível abastecer a despensa e diminuir os impactos no planeta. Selecionamos dez dicas práticas para levar para o supermercado.

1 – Faça uma lista de compras

Nos dias de hoje, somos incentivados a consumir o tempo todo. Por isso, muitas vezes compramos mais do que realmente precisamos. Para evitar esse consumo abusivo, uma boa dica é fazer uma lista de compras antes de ir ao supermercado. Isto evita aqueles impulsos de levar coisas desnecessárias, como uma bebida que você nem gosta tanto ou um pacote de salgadinhos que engorda e faz um mal danado à saúde.

Se for comprar alimentos perecíveis, leve apenas a quantidade necessária. Fique atento também ao prazo de validade dos enlatados. Comprando apenas aquilo que você sabe que vai consumir você acaba gastando menos e evitando que frutas, legumes, verduras, hortaliças e carnes apodreçam em sua casa ou que produtos passem da validade e acabem no lixo.

2 – Se alimente antes de ir ao supermercado

Parece óbvio, mas é pura verdade. Um estudo mostra que pessoas com fome compram mais comida. Compras desnecessárias tendem a gerar mais lixo e desperdício. Por isso, faça um lanche ou uma refeição e não vá às compras de barriga vazia.

Bem alimentado e com a ajuda de uma lista de compras fica mais fácil comprar somente o que for preciso, pôr em prática o consumo consciente e evitar gastos desnecessários.

3 – Evite as compras de mês

Em vez de ir uma vez só ao supermercado e comprar um estoque mensal de alimentos, prefira ir quinzenal ou semanalmente. Assim você evita comprar produtos que perderão a validade e acabarão no lixo.

Você ainda pode aproveitar e retomar um hábito comum aos nossos pais e avós, mas pouco valorizado nos dias de hoje: as feiras livres. Ali você pode encontrar uma variedade maior de produtos, muito mais saudáveis e saborosos. Mas não se esqueça de comprar apenas o necessário para o seu consumo e de sua família até a próxima feira.

4 – Faça supermercado pela internet

Muitas redes de supermercados já dispõem de serviços de compras pela internet. Se o seu já tiver, use-o. Além de seguro, o serviço poupa combustível (já que a entrega normalmente é sincronizada e feita de uma vez só, por um único veículo), tempo, dinheiro e estresse.

Apenas evite pedir produtos com entrega para o dia seguinte, já que isso geralmente consome muita energia. Também tente fazer as encomendas junto com parentes, amigos e vizinhos. Isso evitará mais gastos com entrega e viagens desnecessárias.

5 – Compre a granel

Em vez de comprar alimentos em embalagens padronizadas, experimente comprar somente a quantidade que você precisa. Além de evitar as embalagens descartáveis, você reduz o desperdício ao levar para casa apenas o que precisa.

Diversas feiras e supermercados dão a opção de compra a granel, alguns são até mais baratos que os tradicionais. É possível inclusive encontrar alimentos orgânicos vendidos em quantidade individual e com preços bem acessíveis. Outra dica é utilizar embalagens retornáveis (como aqueles sacos plásticos vedáveis) e utilizá-los sempre que for comprar determinado produto.

6 – Prefira alimentos sazonais, orgânicos e locais

A natureza não produz bananas ou melancias o ano inteiro. Então de que forma é possível encontrar sempre as mesmas hortaliças, legumes, verduras e frutas nos supermercados? Ora, cultivando de maneira a induzir a frutificação. Isto significa usar uma grande quantidade de água e agrotóxicos e lançar poluentes no solo. Na feira, portanto, fique atento à temporada e compre somente o que estiver dentro da estação. Você estará levando para casa alimentos mais saudáveis, que agrediram menos a natureza e que certamente terão um sabor bem melhor.

Sempre que possível, procure ainda comprar alimentos orgânicos. Eles normalmente trazem um selo de garantia e foram cultivados naturalmente, sem nenhum tipo de inseticida ou modificação genética. Fazem bem à saúde e são muito mais saborosos. Diversos estudos demonstram que a exposição humana a pesticidas pode causar problemas neurológicos, vários tipos de câncer, danos ao sistema imunológico e redução na fertilidade. Além disso, os agrotóxicos também contaminam a água e o solo.

Também prefira os alimentos que são cultivados dentro do perímetro da sua região, que geralmente emitem menos carbono na atmosfera durante o transporte e estimulam os produtores locais. Mas tome cuidado para não comprar alimentos cultivados em estufas aquecidas com energias não renováveis, mesmo que elas estejam próximas a você.

7 – Não compre produtos de empresas irresponsáveis

Como consumidores, nós temos um grande poder de influenciar e mudar as práticas das empresas. Ao comprar produtos de marcas que agem de forma consciente e sustentável e que respeitam o meio ambiente, a cultura e a comunidade, e boicotar aquelas que atuam de forma oposta, você estará ajudando a mudar a realidade.

Grandes empresas já sofreram boicote e viram seus produtos serem deixados nas prateleiras como forma de protesto dos seus consumidores. Entre as críticas mais comuns estão as péssimas condições trabalhistas às quais estão sujeitos os empregados (algumas vezes, até crianças) e a degradação ambiental causada pelos seus produtos.

8 – Não manipule alimentos na hora da escolha

Toda vez que você manipula algum alimento, como frutas, verduras e legumes, você reduz a sua vida útil e aumenta as chances de desperdício. Por isso, evite ao máximo o contato na hora da escolha.

Quando for à feira ou ao supermercado, escolha com os olhos e pegue nos alimentos somente depois que decidir qual vai levar.

9 – Recuse sacolas plásticas

Se for comprar pouca coisa, recuse a sacola plástica e leve os produtos em uma ecobag ou mesmo na bolsa ou mochila. Assim você reduz o consumo de plástico e vira um propagador da consciência ambiental.

Não deixe de explicar por que você está abrindo mão da sacolinha plástica e mostre que é possível carregar suas compras sem consumir mais plástico. E se as compras foram grandes, opte por ecobags resistentes, caixotes ou carrinhos e ajude a preservar o planeta.

10 – Cozinhe em quantidade e congele

Quando já estiver em casa com suas compras, separe um dia para preparar várias refeições para todo o mês ou a semana. Depois basta guardar no freezer e reaquecer no dia de consumi-la. Essa prática ajuda a economizar ingredientes e energia.

Os processos de descongelar e esquentar são mais econômicos do que se você fosse preparar todo o alimento de novo. Cada vez que você vai para a cozinha preparar uma refeição você consome uma enorme quantidade de água, eletricidade (geladeira, micro-ondas, liquidificador, etc.), gás e também de alimentos, já que sempre sobra um pedaço de legume ou um punhado de tempero que termina no lixo.

Fazer tudo de uma vez evita esse tipo de desperdício e ainda poupa tempo para os próximos dias.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Vamos unir nossas forças pelo bem comum!

João Calçada
Chefe Tropa Escoteira do Grupo Escoteiro Universo - 13-SC

Em linhas gerais nossa atividade será a seguinte:

Nosso tema: O Lixo é alimento. A idéia é fazer uma analogia da Natureza com nossa vida na cidade quanto ao lixo.
"Observando a natureza podemos perceber que nada se perde. O que é descartado por uma espécie serve de alimento para outros seres, formando uma cadeia que se realimenta. As folhas e frutos das árvores alimentam animais como pássaros ou mamíferos, cujas fezes, além de propagarem as plantas, serve de alimento para outros animais maiores e até microscópicos. Estes seres ao excretarem, produzem fertilizantes para as plantas e todo o sistema se melhora.
Se pensarmos que o lixo que nós, seres humanos, produzimos também deve servir de alimento para outros entes, estaremos no caminho da completa preservação ambiental. Por não termos assimilado esse conceito, deixamos de separar o lixo adequadamente, ampliando a bomba relógio que é a questão do lixo nos centros urbanos. Além disso, moradores das cidades não sabem o que fazer com o lixo diferenciado e acabam fazendo o descarte às margens de vias pouco movimentadas e terrenos baldios, trazendo prejuízos ambientais e até para a saúde pública."

Objetivo: A proposta é disseminar entre nossos jovens e a comunidade de Canasvieiras o conceito de que lixo é alimento, contribuindo para sua correta destinação, envolvendo a população, os catadores de lixo, a empresa encarregada da coleta de lixo, empresas e outras entidades atuantes na comunidade. Nossa ação compreende o levantamento do lixo incorretamente descartado, buscar informações da destinação correta e divulgar estas informações em impresso a ser distribuído pelos escoteiros de porta em porta. Servirá, também, para a divulgação do movimento escoteiro e comprometimento dos jovens com o aproveitamento de alimentos e preservação ambiental.

Cronograma/Ações:
Dia 10/09/2011 - Na parte da manhã nossos escoteiros e seniores/guias vão percorrer ruas de Canasvieiras, Norte da Ilha de Florianópolis, fotografando o lixo descartado indevidamente nas margens de ruas e rodovias pouco movimentadas, terrenos baldios, etc... Após o almoço, deverão entrevistar pessoas da comunidade, como empresários, autoridades, dirigentes de entidades ligadas ao bairro, como CONSEG, Rotari, Blog SOS Canasvieiras, etc... Realizaremos também algum jogo. No final do dia, será entregue carta-prego com instruções para os jovens separarem, pesarem e medirem (cubagem) o lixo de suas casas durante uma semana.

17/09/2011 - Cada patrulha deverá preparar uma apresentação do que encontraram na fase 1 (levantamento do dia 10/09/2011), do lixo produzido em casa, e em seguida debaterem sobre o que fazer para eliminar esse descarte indevido de lixo. Estas apresentações serão assistidas por pessoal da COMCAP que também fará uma palestra sobre o tema. Após as apresentações, o grupo irá debater sobre as questões levantadas e buscarem soluções. No final da reunião, deverão listar ações a serem desenvolvidas e contatos a serem realizados. Durante a semana, escotistas deverão levar os jovens para visitação ao Museu do Lixo da COMCAP e buscarem soluções no mercado (empresas e catadores) e junto ao poder público.

24/07/2011 - Serão escolhidos um jovem de cada patrulha para auxiliarem na montagem de protótipo de impresso com informações à comunidade sobre a separação, acondicionamento, dias e locais de coleta do lixo, o que os catadores recolherm, empresas que reciclam, etc... Aqui teremos ajuda da ACIF, com um jornalista ou um um editor gráfico.

01/10/2011 - Novamente os jovens voltam as ruas de Canasvieiras para distribuição do impresso de porta em porta. Nesta fase seria muito importante se conseguíssemos trazer tropas de outros grupos escoteiros do distrito para termos maior eficiência e visibilidade na mída, afinal 200 escoteiros aparece muito mais do que 32 ou 64.

Importante: Segundo a COMCAP, eles fazem a coleta seletiva, porém podemos verificar que ninguém separa o lixo. Contatei a COMCAP e o Vereador Dinho que é quem coordena os trabalhos da Intendência de Canasvieiras, e temos todo o apoio, pois nossa atividade vem ao encontro do que pretendiam fazer mais próximo da temporada, que é a distribuição de impressos sobre a separação e coleta do lixo.

sábado, 3 de setembro de 2011

Manifestação 7 de setembro

Dia 7 de Setembro teremos passeata contra a corrupção. Partiremos do Trapiche da Beiramar às 14h e encerraremos na Casa d’Agronômica. Por favor divulguem, o evento está crescendo no Facebook, falta tirarmos as pessoas da internet e colocá-las nas ruas!!!

Em: http://www.facebook.com/#!/event.php?eid=214760088572935

Vamos tirar nosso nariz de palhaço. JÁ!!!!!!!!



---

07 DE SETEMBRO DE 2011

O DIA DA REAÇÃO........ATENÇÃO:

Antes de tudo, respeito a PÁTRIA. VAMOS NA PAZ.

Basta usar preto em qualquer lugar deste país e você já estará participando.

Seja bem vindo ao DIA DO LUTO NACIONAL.

FITAS PRETAS NOS CARROS, VISTAM-SE DE PRETO.

PANO PRETO NAS JANELAS DE CASA. ESTE É O NOSSO LUTO. MOSTRAREMOS NOSSA TRISTEZA E DEDICAREMOS ESTE DIA AO NOSSO PAÍS.

PROVAREMOS AO MUNDO QUE NÃO SOMOS OMISSOS E PERMI...SSIVOS.

NÃO APROVAMOS A FORMA COMO ESTÃO NOS TRATANDO.

Gritaremos: FORA A IMPUNIDADE!

SOMOS TODOS, CONTRA:
A imunidade parlamentar!
A corrupção!
A pouca vergonha pública!

Pedimos por favor, que não levantem bandeiras por partido político NENHUM.

Essa luta é só NOSSA.

Não permitam bagunça, briga ou vandalismo.

E saiba que se houver neste dia, algum procedimento que fuja a ESSA nossa solicitação,

será por parte dos que estão CONTRA NÓS.. CONTRA NOSSA LUTA.

CONTRA O POVO QUE PEDE SOCORRO.

O BRASILEIRO MORRE EM FILAS DE HOSPITAIS PÚBLICOS. AMBULÂNCIAS E EQUIPAMENTOS COMPRADOS, JÁ DERAM A ALGUM POLÍTICO OU AUTORIDADE SUA COMISSÃO. NO ENTANTO, ESTÃO PARADOS, ESTRAGANDO-SE, POIS NÃO DARÃO MAIS LUCRO.

SOMENTE DESPESAS. CONTRATAÇÃO DE PESSOAL E ATENDIMENTO DA POPULAÇÃO NÃO ERAM SEUS IDEAIS.
EDUCAÇÃO – SEGURANÇA – SAÚDE – PAVIMENTAÇÃO – HABITAÇÃO SÃO SEMPRE PROMESSAS DE TODAS AS CAMPANHAS E NUNCA SÃO REALIZADAS DECENTEMENTE.

OS MINISTROS DO STF E DO STJ NÃO DEVERÃO MAIS SER NOMEADOS PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA. DEVERÃO SER NOMEADOS POR UM COLEGIADO DE MAGISTRADOS, LEVANDO EM CONTA SUA NOTORIEDADE, CONHECIMENTO JURÍDICO E, SOBRETUDO, SUA HONESTIDADE.

REFORMA PRISIONAL JÁ!!
SOMENTE NO BRASIL, EXISTE TANTO BENEFÍCIO PARA QUEM ESTÁ PRESO. ESTRUTURA PARA RECUPERAÇÃO DO PRESO AO INVÉS DE VISITAS ÍNTIMAS E OUTRAS FACILIDADES!

MOVIMENTE-SE! CRIE GRUPOS DE DIÁLOGOS, UNA-SE A OUTROS GRUPOS E ENTIDADES, PROCURE A COMUNIDADE, SUA ASSOCIAÇÃO DE BAIRRO, SEUS AMIGOS E EMPRESÁRIOS.

SOMOS UM POVO PACÍFICO SIM E NÃO PRECISAMOS DA VIOLÊNCIA PARA FAZER VALEREM OS NOSSOS DIREITOS. MAS NÃO PODEMOS FICAR DE BRAÇOS CRUZADOS ESPERANDO ESSA CORJA DE POLÍTICOS CORRUPTOS E FORMADOS PELOS SEUS PRÓPRIOS INTERESSES SE INTERESSAREM POR NÓS. PRECISAMOS AGIR E MOSTRAR QUE NÓS OS ELEGEMOS E QUE É POR NÓS QUE ELES ESTÃO NO GOVERNO E QUE, POR MENOR QUE SEJA O DESLIZE, NÓS TEMOS O DIREITO DE CASSAR O SEU MANDATO.

PRECISAMOS DE UMA POLÍTICA LIMPA, DE CARÁTER, SERIEDADE E COMPETENTE.

FORTALECER OS PODERES LOCAIS. COMUNIDADES E BAIRROS NO CONTROLE DE SUAS FINANÇAS E PRIORIDADES.

VAMOS DEMONSTRAR UNIÃO OU NÃO SEREMOS LEVADOS A SÉRIO E CONTINUAREMOS COMO O PAÍS DE UM FUTURO QUE NUNCA CHEGA E DE POLÍTICOS CORRUPTOS QUE ENRIQUECEM COM OS BENEFÍCIOS DA IMPUNIDADE

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Liminar vai preservar Guarda do Embaú

Procuradoria da República obteve na Justiça Federal liminar favorável para que seja realizada vistoria completa nos sistemas de esgotos de residências, estabelecimentos comerciais e industriais na Praia da Guarda do Embaú, no município de Palhoça.
O objetivo da vistoria é verificar a eficácia e a regularidade dos sistemas individuais de tratamento de esgotos. A Ação Civil Pública foi proposta contra o Município de Palhoça e a Fundação Cambirela de Meio Ambiente (FCAM), com o objetivo de buscar uma solução eficaz e permanente para a situação de poluição do Rio da Madre e da própria Praia da Guarda do Embaú.
Na ação, a procuradora da República Analúcia Hartmann requer que o Município seja condenado a implantar, no prazo de dois anos, rede coletora e de sistema completo de tratamento de esgotos sanitários para a Guarda do Embaú. O Município deverá, ainda, lacrar as ligação diretas de esgoto no sistema de drenagem pluvial, no Rio da Madre ou no mar; e demolir e interditar as atividades poluidoras que verificar na vistoria.
Nota da Procuradoria informa: “Considerada há alguns anos como uma das praias mais bonitas do país, a praia da Guarda do Embaú sofre com a ocupação urbana desordenada e com a ausência de fiscalização por parte do poder executivo municipal. Desde 2002, os relatórios de balneabilidade da Fatma apontam que o Rio da Madre é impróprio para banho, contaminado por fezes humanas. A contaminação das águas por coliformes fecais é fonte de doenças tais como hepatites, diarreias e micoses, especialmente em crianças. Na região, não há sistema público de tratamento de esgotos.
Para Analúcia é “surpreendente a inércia face à degradação de uma praia tão importante para o turismo de Palhoça como a da Guarda do Embaú”. De acordo com o MPF o perigo é que ocorra um colapso socioeconômico representado pela poluição em virtude da população viver da pesca, da maricultura e, muito especialmente, do turismo.”